Para Nestor

Quando o conheci
a face de Nestor já refletia
essa ausência de paisagem,
de maneira que seus olhos aprofundavam e traduziam
o deserto de sua mente.

Em Nestor
a eternidade assumiu os compassos de seu coração,
flores o desejavam para canteiro,
poetas, para compor suas canções.

Nas poucas palavras sobressaíam
o gosto e  o cheiro – Nestor era quase neutro:
se Silvia viesse à escola: bem!
se Silvia não viesse à escola: bem também!

Ansiedade ele deixou pra outras encarnações,
através do silêncio, navega sorrateiro no mar da respiração.

Uns médicos dizem que Nestor é esquizofrênico
outros dizem que Nestor é autista,
eu digo que Nestor é Altíssimo!

Raphael Lugo.Deve ter lido Nietzsche, Manoel de Barros, Guimarães Rosa e, pelo visto, caiu “nonada”. Tem como mania a inquietação filosófica sobre o fazer poético, alcançando tons sociais e lírico-amorosos, nos quais o ritmo e a imagem suplantam – ainda bem! – a vontade de conceituar as coisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *