A grande volta

Ela te largou por causa de uma lata de tomates?
De Serge Kribus. Escrito pelo autor belga, o texto bem construído transita do melodrama à comédia dramática. Sob a direção seca de Marco Ricca, a montagem protagonizada por Fulvio Stefanini e Rodrigo Lombardi lima a pieguice e promove um embate revelador. O publicitário Henrique (Lombardi) perdeu o emprego e a mulher. Para completar, o pai (Stefanini), um ator decadente, bate à sua porta de mala na mão e, vociferando, diz que voltará à cena no papel do protagonista de Rei Lear. O homem jamais convenceu alguém de seu talento no palco, quanto mais o filho… Ao optar por soluções diretas — entre elas um cenário único adequado a três situações — e atuações distantes da emotividade fácil, o diretor reproduz a difícil comunicação do universo masculino.
Com mais de 50 anos de carreira, Fúlvio Stefanini construiu um delicado trabalho de interpretação que oferece todas as particularidades de Boris – inicialmente um “invasor” de apartamento, o velho ator logo demonstra ter assumido a loucura do Rei Lear, enquanto ensaia o papel. Não a perda da sanidade, mas a capacidade de falar verdades que mantinha escondidas. É o que acontece na cena em que os dois estão em uma praça, antes de entrarem em um restaurante: bastam algumas doses de vodca para que Boris solte confissões (como desprezar a carreira de ator) que logo se transformam em berros, tão altos que pai e filho acabam presos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *