No tapetão o Flamengo recupera a estrela

“O Futebol é uma caixinha de surpresas”. Esse bordão futebolístico ja perdura ha mais tempo que podemos imaginar, e, mesmo assim, é tão atual que sempre nos impressiona.
Em reunião com a diretoria da CBF a Presidente do Flamengo, Patricia Amorin, conseguiu com que a entidade máxima do futebol brasileiro pudésse reconhecer o título da Copa União de 1987 como sendo conquistado pelo Flamengo e dividido com o Sport.
Naquele ano a CBF não promoveu o Campeonato Brasileiro, desta forma, o Clube dos 13 – Entidade formada pelos principais clubes de futebol brasileiro – decidiu realizar a Copa União convidando outros 3 times para este torneio. Porém em paralelo outros clubes também realizaram um campeonato e logo a CBF voltou atrás e interveio para que o campeão brasileiro saisse de confronto destes dois módulos, o Amarelo formado por times menos expressivos e o Verde formado pelos clubes da elite.
Eis que começa a novela Campeão Brasileiro de 87, o Flamengo e o Inter foram campeões e vice do módulo verde e em acordo entre o Clube dos 13 decidiram não jogar contra os campeões do módulo Amarelo, Sport e Guarani. Fizeram entre si uma final onde o Flamengo se deu melhor e se proclamou campeão brasileiro de futebol. Pelo módulo Amarelo os primeiros colocados Sport e Guarani resolveram entrar em campo e decretaram que os times gaucho e carioca perderam por WO, quando o time adversário não comparece a campo para a disputa, e fizeram entre si outra final, onde o Sport bateu o Guarani e também requisitou o título de campeão daquele ano.
Os capítulos desta novela ganharam mais repercussão quando do questionamento sobre quem seria o primeiro time pentacampeão brasileiro, com o título de 1992 o rubronegro seria assim o primeiro pentacampeão, mas devido a varias incursões judiciais, somente a torcida comemorava desta forma sendo que a CBF ainda dava o titulo somente ao Sport. Já o tricolor paulista com o título conquistado em 2007 ganhou legitimamente o seu pentacampeonato, não precisando de nenhuma “forcinha” dos cartolas para tal feito.
E foi então que esta saga começou a pegar fogo, os dois times começaram a brigar pela posse da “Taça das Bolinhas”. Com tantas brigas judiciais nenhum dos times recebera este troféu.
O desfecho.
Semana passada, 14/02/2011, o São Paulo recebeu a taça, o Flamengo pediu busca e apreensão, a Caixa diz que lava as mãos quanto a este assunto e agora a CBF reconhece, no dia 21/02/2011, o mesmo campeonato que havia recusado por 16 anos. Haja surpresas pra esta novela.
E agora o mengão não abre mão desta taça, e o time do Morumbi diz que não largam dela. O que acontecerá então? Este dramalhão bem ao estilo mexicano terá um final feliz para qual torcida? Só sei que não vem pro meu timão.
Mas enquanto esta novela não acaba vamos nos deliciando com mais capítulos da bela arte que é o Cartola Futebol Brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *